O cuidado com os cabelos faz parte da rotina das mulheres (e também dos homens). Por comporem de maneira importante a estética do rosto, é fácil perceber como cabelos bem cuidados e saudáveis auxiliam no fortalecimento da autoestima e trazem mais confiança. Para mantê-los dessa maneira, são horas e horas dedicadas a diferentes técnicas e propostas que prometam bons resultados para os fios.

É por tais motivos que a identificação dos primeiros “sintomas” que possam indicar problemas capilares se torna rapidamente motivo de preocupação, como perda da vitalidade, enfraquecimento e principalmente a queda volumosa dos fios.

Como há muitas teorias e informações dispersas sobre os motivos para a queda de cabelos, o mais comum é se encontrar perdido na resposta para o questionamento: E agora, o que faço?

Acompanhe a seguir algumas orientações sobre como proceder no momento em que o problema de queda de cabelos é notado.

1. Analise o volume de queda

É claro que o primeiro passo ao perceber os cabelos caindo é não se desesperar. Inicialmente, deve-se procurar identificar se a queda está, realmente, num nível acima do comum.

Você já deve ter ouvido falar que os cabelos caem, naturalmente. Todos os fios passam, em seu ciclo, por três fases: a de crescimento (anágena), que dura de três a cinco anos; a de pausa do crescimento (catágena), que normalmente dura três semanas; e a de queda dos fios (telógena) que dura cerca de 2 a 3 meses. Como o processo acontece individualmente em cada fio, é normal que, todos os dias, um certo volume de cabelos caia.

Como referência, uma queda diária de cerca de 50 a 100 fios pode ser considerada comum. Geralmente, trata-se daquele volume visto no pente ao pentear os cabelos ou no ralo ao lavá-los. Os sinais de que a queda está além do comum, no entanto, podem ser percebidos tanto pelo excesso de fios nesses momentos (ou seja, você percebe que houve um aumento na quantidade que normalmente vê) quanto por muitos fios caídos no chão ou no travesseiro, ao dormir. As falhas em regiões do couro cabeludo são um sinal mais claro, percebido de forma rápida.

Se os sinais foram avaliados e a queda de cabelos está acontecendo excessivamente, há diversos fatores que podem estar afetando o ciclo natural dos fios e desequilibrando o processo. Por isso, é necessário passar por uma análise.

2. Inicie uma investigação

A saúde dos fios tem relação com uma série de questões que podem ser fisiológicas e emocionais – muitas vezes, inclusive, as duas andam lado a lado. Por conta disso, nem sempre é tão simples identificar, de primeira, a origem do problema. Há muitos sinais a serem investigados, como:

  • Causas hormonais
  • Estresse ou outros fatores psicológicos
  • Desequilíbrios nutricionais
  • Predisposição genética
  • Doenças infecciosas ou autoimunes

E esses são apenas alguns! Entenda de forma mais detalhada no artigo 5 motivos para o seu cabelo estar caindo”.

Para encontrar a solução ideal que ajude a amenizar ou erradicar o problema, não é possível reduzir o problema somente à queda e partir para qualquer tratamento que prometa recuperar os danos. O momento de investigar as causas precisa receber atenção especial. É o auxílio profissional e técnico que fará toda a diferença nesse momento.

3. Faça uma avaliação tricológica

Você sabia que existem profissionais especializados na saúde dos cabelos e do couro cabeludo? Muitas pessoas sequer conhecem a especialidade, mas a tricologia é a área mais capacitada para atuar no tratamento de problemas capilares, desde a identificação do problema e suas causas até a execução de diferentes técnicas para tratar a queda.

Para quem busca um tratamento tricológico, a avaliação tricológica é o primeiro passo, que consiste em uma análise detalhada de todo o couro cabeludo e haste capilar, através de recursos tecnológicos de última geração e testes capazes de demonstrar as alterações presentes em cada caso. De maneira completa, a avaliação contará com:

  • Coleta de dados
  • Teste de puxamento de fios
  • Skin analyser (análise do nível de oleosidade e elasticidade do couro)
  • Microscopia Óptica do Bulbo Capilar (análise do fio e mucina)
  • Tricoscopia (mapeamento de todo o couro)
  • Exposição dos resultados
  • Indicação do tratamento

O relatório obtido por meio da análise permitirá identificar os passos necessários e mais indicados para cada caso, que podem envolver o encaminhamento para tratamentos médicos ou a indicação dos tratamentos de cunho estético da tricologia, de acordo com o resultado buscado.

4. Reveja o estilo de vida como parte do tratamento

Seja qual for o tratamento indicado, a tricologia considera que os melhores resultados serão obtidos ao abordar o problema capilar de maneira ampla, compreendendo como a queda de cabelos pode estar relacionada aos hábitos diários e ao estilo de vida levado pelo paciente.

É indicado que os tratamentos tricológicos estejam aliados a mudanças necessárias para uma vida mais saudável, seja reduzindo o nível de estresse, buscando uma alimentação mais balanceada ou iniciando acompanhamentos médicos quando necessário.

O cuidado com a saúde de maneira geral é determinante para buscar um equilíbrio que é sentido também na saúde dos fios.

 

Quer saber mais sobre como realizar uma avaliação tricológica? Clique aqui.