Queda de cabelo excessiva é um pesadelo em qualquer idade. Afinal, ninguém gosta de ver os cuidados dedicados aos fios indo, literalmente, pelo ralo. Apesar de, muito frequentemente, o senso comum considerar o problema de queda de cabelos uma consequência da idade, a realidade é outra.

São crescentes os casos de jovens que buscam diferentes tipos de tratamento após identificar queda excessiva dos fios.

O que é bastante comum, no entanto, é que esse público demore a reconhecer que há um problema no volume de perda capilar, justamente por não considerarem uma possibilidade na idade em que se encontram.

Para compreender como e por que a queda de cabelos ocorre também em homens e mulheres jovens, acompanhe as informações a seguir!

 

Por que os cabelos caem?

Fica bem mais fácil entender os motivos da queda de cabelo em pessoas jovens quando se compreende que o espectro do problema é bem mais amplo que somente a famosa calvície que atinge principalmente os homens (mas também pode afetar as mulheres) após a meia idade.

De fato, a alopecia androgenética (também conhecida como calvície) é uma condição genética que frequentemente se manifesta nessa faixa etária, porém, há dois fatores importantes a considerar:

  • Ainda que haja uma predisposição genética, há uma série de possíveis desencadeadores para que os problemas relacionados à calvície se potencializem, independente da faixa etária;
  • Nem toda queda de cabelo é, necessariamente, calvície – ou seja, há muitos casos em que a perda de cabelos está associada a diferentes outros fatores, o que também independe da idade do paciente.

Portanto, a queda de cabelos precisa ser analisada sob um aspecto bastante amplo. O primeiro ponto é identificar se o volume de queda está realmente fora dos padrões, já que a queda diária de certo número de fios é considerada normal – entenda aqui.

Se a queda está além da normalidade, é hora de investigar todos os possíveis motivos que podem estar associados, como:

– Deficiências nutricionais;

– Distúrbios hormonais;

– Estresse ou outras questões emocionais/psicológicas;

– Doenças autoimunes, infecciosas ou dermatológicas;

– Uso de medicamentos; entre outros.

Esses são apenas alguns dos desencadeadores comuns citados anteriormente. Percebe como boa parte deles está intimamente relacionada ao próprio estilo de vida moderno? Eis a explicação para a frequência no aparecimento de problemas de queda de cabelo em pacientes ainda jovens.

 

Queda de cabelo e estilo de vida

Dietas restritivas, má alimentação, longas jornadas de trabalho, enormes cargas de responsabilidades, sedentarismo, distúrbios do sono… Quantos desses hábitos ou problemas rodeiam a sua vida e a de pessoas próximas a você?

Por mais que sejam considerados problemas “normais” na atualidade, especialmente entre os mais jovens, é preciso reforçar como há riscos à saúde associados a todos eles, tanto emocionais quanto físicos. Em ambos os casos, os reflexos podem ser sentidos nos cabelos, por meio do enfraquecimento ou queda excessiva dos fios.

Considerando que o estilo de vida pode influenciar diretamente na saúde capilar, qualquer solução que se busque para o tratamento de queda de cabelos será bem mais efetiva se aliada a uma abordagem que procure estimular hábitos mais saudáveis e um equilíbrio tanto físico quanto emocional.

 

Como buscar tratamento?

Assim como há muitos fatores associados à queda de cabelo, há uma infinidade de tratamentos disponíveis, com abordagens bastante distintas. O conselho mais importante é fugir de supostas “soluções milagrosas”! O ideal é buscar, inicialmente, um processo minucioso de análise e identificação das causas do problema, o que pode ser feito junto a um profissional de tricologia.

Numa consulta tricológica, diferentes tecnologias são utilizados para realizar uma avaliação do estado do couro cabeludo e dos fios, em busca de identificar a origem da queda e, assim, indicar o tratamento ideal.

Os tratamentos tricológicos propostos possuem caráter estético e auxiliam na estimulação, regeneração e crescimentos dos fios de diferentes maneiras, de acordo com cada caso, com aparelhos e tecnologias de ponta envolvendo, por exemplo, fototerapia, intradermoterapia, eletroterapia e ainda técnicas mecânicas e naturais.

Para conhecer alguns dos principais tratamentos propostos pela tricologia, acesse: Quais são os tratamentos para queda de cabelo? .